5 de maio de 2016

Falemos das recompensas


Esta fotografia de Teresa Gamito documenta um dos momentos em que a recompensa da primeira campanha de crowdfunding da Montis, subida do rio Teixeira, se materializou no ano passado.

As campanhas de financiamento pela malta (uma das traduções possíveis de crowdfunding) têm sempre uma componente de recompensas associadas às doações.

Algumas dessas recompensas são mais imateriais, como os agradecimentos, outras são mais orientadas para questões práticas (as quotas da associação que ficam pagas, ou os relatórios do que fazemos com o dinheiro que nos comprometemos a enviar anualmente) e outras resultam em puro prazer, como é o caso do passeio que a fotografia documenta.

Na actual campanha (VER AQUI), as recompensas começam nas doações de 5 euros e esse valor - tal como na doação de 10 euros - traduz-se num voucher do montante da doação para actividades pagas da Montis, como este colóquio, por exemplo.

A partir dos 25 ficam as quotas da Montis pagas, para além do excedente dar também acesso a um voucher.

Nestas doações, como em todas, ficamos com a responsabilidade de enviar relatórios anuais sobre o que fizemos com o dinheiro que nos entregam.

É a partir de 50 euros que as doações passam a dar acesso a actividades como as da fotografia. Com este montante, para além de tudo o que as doações dão acesso (quotas pagas, relatórios, etc.), cinco pessoas podem beneficiar da subida de um rio, ou do um percurso desenhado de acordo com as necessidades específicas do grupo, incluindo um percurso que inclua o uso de uma joelette, para pessoas de mobilidade reduzida, porque ainda não nos atrevemos a subir o rio com a joelette.

Não deixamos des querer levar tão longe quanto possível a acesso de toda a gente ao património natural. A joelette não é da Montis, é da Desafio das Letras, foi também comprada através de crowdfunding e usamos sempre que possível (com chuva ou sem chuva) e nos pedem.



Agora que está a chegar o Verão, é juntar mais quatro amigos e com dez euros cada um dão-nos um grande apoio e ganha-se um passeio muito catita para os cinco.

Com 75 euros, o que se ganha é a inscrição numa das oficinas de engenharia natural que o crowdfunding nos vai permitir fazer. Para além de sujar as mãos na gestão directa do território, ganha-se informação e na oficina está incluída a alimentação e estadia por duas noites (em tendas). É uma oportunidade de assegurar já um lugar nas futuras oficinas: é que na primeira, que tivemos de cancelar por causa dos avisos de mau tempo, as inscrições esgotaram.

E acima deste valor há ainda melhores recompensas para grupos maiores que podem ser usadas por grupos maiores ou simplesmente oferecidas a um grupo de miudos institucionalizados, a um lar de velhinhos, a uma turma da escola, enfim grupos que queiramos apoiar oferecendo-lhes um dia diferente.

Para além da participação num campo de trabalho com uma semana de refeições e dormidas incluídas.

Sim, apoiar a Montis, e esta campanha em especial, para muitos até se justifica só pelo interesse em ter um património natural mais rico, mais sustentável, mais gerido e mais valioso, mas se a isso juntarmos o prazer de o conhecer de uma forma mais profunda, ainda melhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário