16 de fevereiro de 2017

Na Segunda, talvez na Terça


Finalmente, depois de muitas peripécias, com o apoio da Junta de Freguesia de Carvalhais, dos sapadores de São Cristovão e da ACHLI, começámos ontem a preparar a peça que faltava na preparação do fogo controlado que iremos fazer em cerca de vinte hectares do baldio de Carvalhais.
A área a queimar tem caminhos em três lados, mas era fundamental abrir uma faixa de contenção do fogo no quarto lado, quebrando a continuidade horizontal dos combustíveis, de modo a permitir conter o fogo na parcela escolhida.
O trabalho dos sapadores vai prosseguir hoje, eventualmente amanhã, sexta feira, se necessário, depois do adiamento por causa da tempestade de Segunda e Terça passadas.
Se as condições meteorológicas forem as previstas, Segunda Feira dia 20 ou na Terça 21, o António Salgueiro, da GIFF, irá orientar a queima de matos nestes vinte hectares, localizados no lado Leste do terreno, criando-se condições para uma melhor gestão dos fogos de Verão.
Desta forma conseguimos preparar o terreno para as nossas oficinas de engenharia natural, apoiando uma recuperação mais rápida da vegetação das baixas, favorecendo a acumulação de solo, nutrientes e humidade.
Se num dos próximos verões algum fogo chegar ao terreno, e isso é uma questão de tempo até acontecer, esperamos que se arderem estes vinte hectares o fogo seja menos severo, afecte menos a vegetação por atingir temperaturas mais baixas, criando um efeito de mosaico que serve de refúgio a espécies de grupos como os insectos e os pequenos herbívoros, e introduz variação na evolução pós fogo, diversificando os nichos ecológicos disponíveis.
Neste momento ainda não sabemos se vamos queimar na Segunda ou na Terça, depende em grande medida das condições meteorológicas, mas logo que saibamos disponibilizaremos a informação para que toda a gente que queira acompanhar a acção o possa fazer e aprender com o António Salgueiro a gerir um fogo com objectivos de gestão bem definidos, vendo como evolui nestas condições e como isso é diferente de um fogo descontrolado de Verão.
Também pode ser que se concretize um dia de voluntariado extraordinário no dia 26, a pedido de sócios que gostariam de juntar ao passeio de Sábado alguma actividade mais e, se acontecer, será também uma oportunidade para ver os efeitos do fogo controlado no curto prazo.
O voluntariado, a existir, será numa outra parte do terreno, onde há alguma regeneração de pinheiro que queremos favorecer para resinar, o mais rapidamente possível, introduzindo gestão economicamente sustentável num bocadinho mais do terreno, uma pequena mancha, aumentado a diversidade do mosaico que queremos para a propriedade.
Vamos devagar, é certo, mas gostaríamos de manter o passo certo.

Sem comentários:

Enviar um comentário